Assembleia Municipal de Arganil aprova por maioria orçamento para 2018 na ordem dos 23 milhões de euros

Download PDF

A Assembleia Municipal de Arganil aprovou por maioria as GOP- Plano Plurianual de Investimentos, com 6 votos contra, (5 do PS e 1 da CDU, que apresentou uma declaração de voto) e 3 abstenções, enquanto que o orçamento foi aprovado também por maioria com 5 votos contra e 3 abstenções. Para 2018, o orçamento do município de Arganil ronda os 23 milhões de euros, apresentando como receitas correntes cerca de 13 milhões de euros e de capital na ordem dos 9 milhões, 741 mil euros. Já as despesas correntes são de 11 milhões 191 mil euros e as de capital de 11 milhões 798 mil euros. Na apresentação dos documentos, Luís Paulo Costa começou por advertir que “as consequências dos incêndios tiveram impacto directo na construção destes documentos”, apontando como exemplos as “intervenções relacionadas com demolições ou contenções, para assegurar a segurança das pessoas, que rondam cerca de 400 mil euros” ou a “implementação de rails de protecção e construção de taludes, orçado em 2 milhões de euros”, bem como a estabilização pós incêndios ou a requalificação de infra-estruturas danificadas pelos incêndios, se bem que “em princípio terão comparticipação por parte do Estado a 100%”.  O presidente do município de Arganil, referiu ainda que nas GOP “consideramos também a intervenção ao nível dos edifícios públicos, desde logo o edifício dos Paços do Concelho, a nível da cobertura e questões relacionadas com eficiência energética, que iremos tentar que tenha financiamento do Estado, intervenção na Casa dos Magistrados, no Pavilhão Vale de Zebras e na antiga residência feminina, ao nível do telhado”, destacando que ao nível do ensino, “falta concluir a requalificação da EB1 e do Jardim de Infância do Sarzedo”, havendo, no que concerne á Escola Secundária de Arganil, “um compromisso por parte da secretária de estado da educação, no sentido de financiar uma intervenção de requalificação daquele edifício em 2018/19 com uma verba até 1 milhão de euros”. No sector da saúde, destaque para a instalação de uma Unidade de Saúde Mental, situação que se encontra em articulação com o Centro de Saúde, enquanto que ao nível do turismo, pretende-se, entre outros investimentos, requalificar o largo do Piódão, o Parque de Campismo do Sarzedo, a zona de lazer das Fronhas e a praia fluvial da Peneda da Talhada. Já ao nível da cultura, destaque para “a requalificação da Capela de São Pedro, instalação do Núcleo de Etnografia e Arqueologia”, e, acrescentou o autarca, “em articulação com a CIM – Coimbra, vamos tentar que seja aprovada uma candidatura para a dinamização das pesquisas arqueológicas na Lomba do Canho”. Haverá ainda “muitas intervenções” ao nível do abastecimento e saneamento de água, bem como ao nível das vias de comunicação, como por exemplo, a ligação entre Coja, Barril, Vila Cova de Alva; Casal Novo á EM 343; Foz d´Égua ao limite do concelho, bem como, a requalificação entre Arganil e Folques, Benfeita á Portelinha, Sorgaçosa, Monte Frio, entre outras. DSC_0486