7 Maravilhas de Portugal – Aldeias arrancou no Piódão

Download PDF

luis-segadaes-na-apresentacao-do-projetoFoi na aldeia histórica do Piódão que decorreu, ontem, o lançamento oficial das 7 Maravilhas de Portugal – Aldeias, um concurso que visa promover as aldeias e o interior do país, e que conta com o apoio institucional do Gabinete do Ministro Adjunto, da Secretaria de Estado do Turismo, do Turismo de Portugal, da UMVI – Unidade de Missão para a Valorização do Interior, do ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, da Federação Minha Terra, da Associação Portugal Genial, para além de outros parceiros. Representantes destas e outras entidades, bem como diversos autarcas e população em geral, estiveram presentes na referida cerimónia, que teve lugar no Inatel Piódão Hotel, cabendo a Luís Segadães, presidente das 7 Maravilhas, fazer a apresentação do projeto. Contando que decidiram fazer uma nova eleição “ao fim de dez anos”, o responsável pelo concurso das 7 Maravilhas de Portugal recordou que “já elegemos o património histórico, a natureza, a gastronomia, as praias e agora voltamos a uma nova eleição”. Revelando que “quase há um ano que andamos com esta ideia e não tínhamos noção do impacto que as aldeias têm no país”, Luís Segadães constatou que “há muita gente hoje a mudar de vida, há muitos projetos que ganharam muita relevância, e há um turismo que se vai desenvolver ainda mais nestas zonas do país”. “A nossa missão vai ser mostrar um conteúdo inovador”, anunciou, explicando que “não vamos mostrar as aldeias sob o ponto de vista do isolamento, vamos mostrar porque por estarem sozinhas têm a graça que têm e as pessoas que têm”. Desvendando ainda que “este projeto é muito sobre pessoas”, o presidente das 7 Maravilhas, agradecendo aos seus parceiros, sublinhou que esta é “uma nova forma de promover o país”. Aproveitando a ocasião para referir que a organização não faz a seleção das aldeias vencedoras e, por isso, “as 7 Maravilhas são bem acolhidas e têm muita participação”, o responsável pelo projeto deu a conhecer que “temos dois órgãos que deliberam em nome da organização, o painel de especialistas, que é quem vai pegar no processo a seguir à fase das candidaturas, e temos o Conselho Científico que é o órgão de apoio para discutir todos os desempates que têm de ser feitos, de forma a que a organização fique por detrás das escolhas”. Presente nesta iniciativa, Filipe Silva, defendendo que este concurso “vai trazer uma maior visibilidade ao território do Interior”, acrescentou que “também queremos, com este tipo de iniciativas, motivar mais os portugueses a viajar cada vez mais e a conhecer o seu próprio território”. Anunciando que, em matéria de promoção, “vamos iniciar uma campanha de turismo interno”, associado também à temática das aldeias, o representante do Turismo de Portugal enalteceu que “importa estarmos preparados para saber receber bem quem nos visita”. Por sua vez, Ricardo Pereira Alves, presidente da Câmara de Arganil, considerando que as 7 Maravilhas de Portugal – Aldeias é uma iniciativa “importante”, uma vez que “deixamos de ter uma visão das aldeias como um problema e passamos a vê-las como uma oportunidade”, revelou que o concelho “vai participar com a candidatura de dez aldeias, entre as quais está o Piódão”. A encerrar a sessão, Eduardo Cabrita, defendendo que é necessário “olhar para estes espaços (aldeias) não de uma forma fatalista (…) mas como espaços de futuro, de oportunidade, de iniciativa e de ideias”, acrescentou que “temos de olhar, no turismo, no património e no ambiente, para estes espaços como zonas de qualidade de vida, em que, no mundo digital, qualquer atividade pode ser desenvolvida com condições bem melhores do que aquela vida tão complexa que há no grande Porto ou na grande Lisboa”. Concordando que é preciso “olhar para aquilo que é a tradição e a identidade mas reinventá-la, fixando pessoas, criando emprego e puxando para aqui oportunidades que podem florescer”, o Ministro-adjunto concluiu que “o turismo é um caminho para a descoberta para estas oportunidades”. Refira-se que, durante o lançamento oficial deste concurso, Carlos Coelho, da Ivity, apresentou a sua imagem, tendo usado também da palavra Daniel Deusdado, diretor de programas da RTP, televisão oficial deste projeto, que vai contar também com a participação dos apresentadores Catarina Furtado e José Carlos Malato. Entretanto, até dia 7 de março, está a decorrer o período de apresentação das candidaturas, que devem ser feitas on-line, no endereço oficial www.7maravilhas.pt, sendo as candidatas a 7 Maravilhas de Portugal – Aldeias organizadas em sete categorias – Aldeias Monumento, Aldeias de Mar, Aldeias Ribeirinhas, Aldeias Rurais, Aldeias Remotas, Aldeias Autênticas e Aldeias em Áreas Protegidas. As sete vencedoras vão ser apuradas pelo maior número de votos, uma por categoria, não podendo ser eleitas mais do que três aldeias por região.