Santa Casa da Misericórdia de Góis quer dar a conhecer a história da instituição

Download PDF

A Santa Casa da Misericórdia de Góis encontra-se a efectuar o levantamento de todos os provedores que a serviram, pretendendo tê-lo concluído até 2018, ano em que a instituição comemora 520 anos, com o objectivo de conseguir “fazer a sua história possível”. O anúncio foi feito por José Serra, na última Assembleia Geral da Misericórdia, durante a qual o provedor deu ainda a conhecer que foram validadas “candidaturas ao novo programa de apoio a pessoas carenciadas do concelho”. Alem disso, acrescentou, “também já temos um plano de segurança para o equipamento de Vila Nova do Ceira”, garantindo que “a Santa Casa da Misericórdia continua a trilhar o seu caminho rumo a um futuro mais risonho”. Entretanto foram aprovados por unanimidade o relatório e contas referentes a 2016, com um voto de louvor proposto pelo Conselho Fiscal e ao qual a presidente da Assembleia Geral, Lurdes Castanheira se associou. Efectuando um “balanço positivo”, da actividade realizada no ano transacto, José Serra, frisou que na instituição “prevalece sempre a constante preocupação pela sustentabilidade”, bem como “pela melhoria dos serviços que presta aos seus utentes”, até porque, secundou, “eles são a nossa razão de ser”. Dando a conhecer algumas actividades promovidas em 2016, o provedor recordou que a Misericórdia de Góis concluiu alguns projectos que foram “pequenos passos do nosso caminho”, não esquecendo “a aposta na formação interna e na melhoria das condições dos nossos utentes, com a aquisição de equipamento diverso”.“A preocupação constante de elevar a qualidade dos serviços que prestamos faz de nós uma instituição de referência na região, facto que validamos na cada vez maior procura dos nossos serviços de ERPI por pessoas de concelhos vizinhos”, revelou com visível orgulho, salientando ainda, das acções levadas a cabo, a construção da capela do lar de idosos, a requalificação da ala norte do lar e o alargamento da sua capacidade para 45 utentes. Regozijando-se com o reforço das parcerias que a instituição estabeleceu, o dirigente aludiu  às intervenções realizadas nas várias valências da Misericórdia que, através dos acordos de cooperação, abrange mais de uma centena de utentes, aos quais são proporcionadas diversas actividades ao longo do ano para ocupar os seus tempos livres. Deixando um agradecimento á Câmara Municipal de Góis e a todos aqueles que “apoiaram o muito trabalho que foi desenvolvido”, José Serra assegurou que a isso se deve “a consolidação financeira da instituição”. dsc03198