Santa Casa da Misericórdia de Arganil homenageia “três figuras emblemáticas da Igreja Portuguesa”

Download PDF

As Festividades em honra de Santa Isabel, Nossa Senhora da Visitação, padroeira das Misericórdias Portuguesas, promovidas pela Santa Casa da Misericórdia de Arganil, a decorrerem dia 1 de Julho, vão ter, este ano, um programa mais enriquecido. A apresentação teve lugar no salão nobre daquela instituição, momento em que o provedor José Dias Coimbra deu a conhecer á comunicação social que nesse dia serão homenageadas “três figuras emblemáticas da Igreja Portuguesa, oriundas da região da Beira Serra”, nomeadamente D. Eurico Dias Nogueira, (Diocese de Braga), D. João da Silva Campos Neves (Diocese de Lamego) e D. José Alves Matoso, (Diocese da Guarda). A consagração irá constar segundo Nuno Gomes da inauguração do “Largo dos Três Bispos”, na Mata da Misericórdia, onde, de acordo com o, director geral da Misericórdia de Arganil, “cada um dos Bispos vai ter uma pedra com a figura decalcada do rosto e uma breve biografia”, através da qual serão dados a conhecer “os momentos mais marcantes na sua vida pessoal, institucional e na vida em relação à própria Beira Serra”. Sublinhando que a ideia surgiu essencialmente para “não deixar cair em esquecimento estas três figuras incontornáveis da Beira Serra”, o dirigente frisou que dois dos Bispos são oriundos do concelho de Arganil e o outro da Pampilhosa da Serra. Afirmando que “o futuro desta instituição e desta região só acontecerá se formos capazes de recordar o nosso passado e honrá-lo”, Nuno Gomes frisou, que esta instituição, “não pode deixar esquecer três Bispos que foram de uma projecção nacional e internacional de tal envergadura e que a maior parte das pessoas não sabe quem são”. “A ideia é que a Mata das Misericórdias seja também o depositário de uma memória colectiva”, confessou, acrescentando que o que se pretende é que “as pessoas possam perceber quem era cada uma daquelas figuras e qual o seu papel no desenvolvimento da região”. O evento irá contar com a presença do Presidente da União das Misericórdias Portuguesas, estando também a aguardar as confirmações por parte do Clero, nomeadamente da Diocese de Braga, Guarda, Lamego e Coimbra”. “Estarão também presentes algumas figuras públicas, como o actor Sinde Filipe, que vai estar associado a este evento porque, na Mata, há um poema dele que vai ser descerrado nesse dia”, adiantou ainda aquele responsável. Já José Dias Coimbra referiu que “este ano, pensámos fazer uma festa importante e significativa porque termina o mandato desta direcção”, destacando ainda do programa para o dia 1 de Julhoo descerramento das “14 Obras de Misericórdia”, (obras de sua autoria) no átrio da sede daquela instituição. Confessando que “há muitos anos que sonhava fazer uma homenagem aos três Bispos que honraram toda esta Beira Serra”, o provedor revelou que “pensei que fazia sentido que, na Mata, onde tanta coisa já se passou, se fizesse uma homenagem aos três Bispos”. Frisando que o objectivo é “as pessoas verem os três Bispos importantes da nossa região”, José Dias Coimbra recordou que “as Misericórdias são instituições de Igreja”, e por isso, sustentou, “temos um compromisso com a Igreja Católica”. Lembrando que “foi o Papa Francisco que veio dizer aos católicos o que é a Misericórdia”, o provedor explicou que vai representar nos seus quadros “as 14 Obras da Misericórdia”, que ficarão expostas à entrada da instituição. Refira-se que, estas Festividades começam pelas 11h00, com a recepção à Associação Filarmónica de Arganil, prosseguindo meia hora mais tarde com a celebração da Eucaristia seguida de procissão, estando agendada para as 15h00 a homenagem aos três Bispos, seguindo-se o descerramento das referidas “Obras de Misericórdia”. O dia terminará com a realização de um concerto da Associação Filarmónica de Arganil na Igreja da Misericórdia.