Renato Rocha de Souza é o novo presidente dos Bombeiros Voluntários de Góis

Download PDF

unnamedO antigo vice-presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Góis, Renato Rocha de Souza, é o novo presidente de direcção desta Associação, para o triénio 2017/19, eleito por maioria, com 42 votos a favor e 7 votos em branco, num total de 49 sócios votantes. A única lista apresentada a sufrágio, tem como presidente do Conselho Fiscal Jaime Garcia, anterior presidente de direcção e José Carvalho como presidente da Assembleia Geral. Os novos corpos sociais tomarão posse no dia 8 de Janeiro do próximo ano. Na ocasião, foi também aprovado por unanimidade o Plano de Actividades e Orçamento para o próximo ano, destacando-se a conclusão de duas candidaturas para projectos cofinanciados no âmbito do Portugal 2020 – PO SEUR Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, para aquisição de uma viatura VFCI (veículo florestal de combate a incêndios) e uma viatura ABTD (ambulância de transporte de doentes). Substituir duas ABSC (ambulâncias de socorro) e uma VCOT (viatura de comando), bem como adquirir novos equipamentos de protecção individual, também faz parte dos projectos para o próximo ano, no que concerne a viaturas e equipamento. Entretanto e após a inauguração das novas instalações no quartel-sede em Góis e da 4ª secção de Alvares, pretende-se, de acordo com o plano de actividades apresentado, “garantir a operacionalidade e a boa utilização das novas instalações, reabilitando e rentabilizando os espaços disponíveis no quartel-sede de Góis, com eventual alteração da localização dos serviços administrativos para o rés-do-chão”. Outro dos objectivos passa por “manter o apoio à Escolinha e Escola de Bombeiros, incentivando o surgimento de novos infantes, cadetes e estagiários”. Anteriormente, na festa de Natal destes soldados da paz, foi apresentada, precisamente, a Escolinha de Bombeiros, dirigida a todos os jovens da comunidade goiense, constituída, por 20 elementos, entre os 6 e os 15 anos de idade. “Estes passarão a ser os nossos Bombeiros de Ouro”, referiu, na ocasião, a direcção, sustentando que são “Bombeiros de Ouro porque alguém que se compromete com idade tão jovem a apaixonar-se por uma causa que lhe vai dar valores éticos e morais, e que se predispõe a ajudar, é alguém que tem e representa um valor inestimável”.