Rancho Juvenil da Casa do Povo de Arganil preocupado com falta de dançarinos

Download PDF

A falta de dançarinos, essencialmente do sexo masculino, é uma das principais preocupações do Rancho Juvenil da Casa do Povo de Arganil. “No ano passado, tínhamos 14 pares, este ano temos menos”, lamentou João Rodrigues aquando da realização do jantar de encerramento de actividades da colectividade que contou com a presença de 150 pessoas e animação a cargo do Grupo de Concertinas Montes Hermínios e do Grupo de Concertinas da Lousã. 

Revelando que um  dos objectivos para 2015 é “ver se conseguimos que entre mais pessoal para o rancho”, o presidente do grupo folclórico sublinhou que “temos muitas raparigas, os rapazes é que não gostam muito dos ranchos”. Embora tenha noção de que se trata de uma realidade vivida por outros grupos culturais, o dirigente lançou o repto aos jovens interessados “para aparecerem na sede do rancho ou seja, na Casa do Povo” garantindo que “estaremos de braços abertos para os receber”. Refira-se que para além dos dançarinos, o Rancho Folclórico é constituído por cantadores e tocadores, mas neste sector garantiu, “não temos problemas”, anunciando que “entrou agora um jovem acordeonista com 9 anos que faz a delícia da casa”. Reforçando que os elementos que compõem o grupo são de várias faixas etárias, o presidente de direcção do Rancho Juvenil ressalvou que os dançarinos é que são todos jovens, frequentando o grupo normalmente até aos 20 anos. “Depois começam a não querer dançar”, lamentou, verificando que, nessa altura, “começam a trabalhar”. Lembrando que os ensaios do grupo decorrem uma vez por semana, à quarta-feira, pelas 21h00, João Rodrigues deixou o convite para “se alguém quiser aparecer para assistir que apareça e se gostar, que integre o grupo”.