Rádio Clube de Arganil quer continuar “a levar bem longe a voz da Beira Serra”

Download PDF

Depois de ter renovado o estúdio principal, de ter substituído a mesa de mistura do estúdio de produção e de ter modernizado os computadores, a direcção da Rádio Clube de Arganil, pretende continuar a investir em equipamentos, por forma a, “continuarmos a ser uma das rádios locais mais bem equipadas do país”, como frisou Jorge Silva, vice-presidente daquela estação emissora, na ultima Assembleia Geral. “A nossa rádio já está tão bem equipada que já andamos a inventar para melhorar”, acrescentou ainda o dirigente com satisfação. Anuindo, Abel Fernandes, declarou precisamente que, “a nossa rádio está bem apetrechada quer ao nível dos estúdios, quer dos nossos centros emissores do Mont´Alto, Aveleira e Piódão”, dando a conhecer em seguida alguns dos projectos para o corrente ano. Assim sendo para 2018 prevê-se a aquisição de novos leitores de CD para o estúdio principal, de um novo computador portátil para serviços internos e exteriores, de novas UPS para garantia de segurança e bom funcionamento dos aparelhos e computadores, assim como, a renovação do estúdio 2, tectos e mesas, instalação de uma nova antena de feixe na torre da aveleira e reparação da iluminação da torre, melhoria do acondicionamento dos matérias de emissão no Mont´Alto e aquisição de um a novo aparelho de reportagem. Já no que concerne aos recursos humanos e depois de se congratular com o elevado numero de presenças no convívio de Natal, (cerca de 600 pessoas), o presidente da direcção da RCA, referiu, que é necessário a contratação de um locutor (a), em tempo parcial, de forma a assegurar duas horas por dia e dois fins-de-semana por mês, assim como de um colaborador que assegurasse algumas horas de emissão ao fim de semana. Entretanto a contratação de um director geral, que tinha sido aventada na última Assembleia muito dificilmente se alcançará, uma vez que, explicou aquele responsável, “por diversas circunstâncias a que não é alheio a ausência de perfil adequado de candidatos e razões económicas, ainda não foi possível concretizar este velho anseio”. Como não poderia deixar de ser a programação também integra o plano de actividades para o corrente, aprovado por unanimidade, cientes de que, “há uma necessidade efectiva de a rádio ser mais interventiva nos principais acontecimentos da nossa região”. Nesse sentido, pretende-se diversificar a programação, com novos programas de natureza informativa, formativa e de debate, dar prioridade aos programas de entretenimento e informativos, estimulando novas colaborações que possam enriquecer a nossa programação e aumentar a presença da rádio nos concelhos da Beira Serra. Naquela que foi a primeira Assembleia Geral presidida por Miguel Ventura, os sócios e cooperantes, (um sócio torna-se cooperante a partir do momento em que tem pago no mínimo 25 euros de quota), também não foram esquecidos neste documento, que prevê ofertas, e um catálogo de vantagens a materializar durante o corrente ano. Até porque, recordou com orgulho Abel Fernandes, “temos mais de 2000 sócios em que pelo menos 1000 têm as suas quotas em dia, sendo poucas as colectividades que o podem dizer”. Concluindo, afirmou o dirigente, “queremos dar passos pequenos, mas seguros, que não ponham em causa a estabilidade económica que tão dificilmente conseguimos, e o cumprimento das nossas obrigações para com os funcionários, o Estado e fornecedores”, seguro de que, “com este plano de actividades, continuaremos a dignificar esta emissora, levando bem longe a voz da Beira Serra”.DSC_0520