Presépio de Coja visitado por cerca de 3000 pessoas

Download PDF

Cerca de três mil pessoas visitaram o presépio constituído por figuras de escala real, que esteve patente desde o dia 8 de Dezembro até presepio-fotoá passada sexta feira no centro da vila de Coja. A iniciativa foi da responsabilidade dos escuteiros do agrupamento 696 do CNE, tendo contado com a colaboração do Cojense João Cavadas e da sua família, que forneceram perto de 500 peças que deram forma ao presépio. “Continha algumas engrenagens mecânicas que lhe davam vida e movimento”, refere a organização a propósito das peças ofertadas por João Cavadas. “O feedback foi muito positivo, dando assim ênfase ao trabalho despendido e á inovação”, acrescenta o comunicado, sublinhando que “o presépio apresenta as profissões da época, através de figuras mecanizadas, uma quinta com os respectivos animais, aldeias, rios, serras, árvores com passarinhos”, assim como “a recriação de uma feira, procissão, arraial, pastores com os seus grandes rebanhos, para além da Sagrada Família e dos Reis Magos”. A iniciativa contemplou ainda uma colecção particular de presépios “muito aliciante”, que, “também prendeu a atenção dos visitantes”, bem como uma árvore de Natal ecológica, construída com garrafas de plástico reutilizado, pelos alunos da EB 2, 3 Professor Mendes Ferrão em Coja. O Pai Natal também marcou presença na época natalícia, “que com simpatia e muito carinho foi recebendo quer crianças quer adultos, que com ele se deixaram fotografar para ficarem com uma lembrança para a posteridade”. De acordo com a organização, na generalidade “foi uma aposta ganha, tendo em conta o tempo de montagem e os recursos envolvidos, essencialmente os Jovens do Agrupamento e alguns amigos”. “O desafio para o próximo ano passa por ver o que se pode modificar para tornar o presépio dos escuteiros ainda mais atractivo e interessante”, refere ainda, vaticinando desde logo que, “envolver mais a comunidade poderá ser uma forma de tornar este evento ainda mais interessante e uma marca para a região”.