Passeio de Motorizadas e Carros Antigos juntou 200 participantes em São Martinho da Cortiça

Download PDF

Começou o ano passado com “uma brincadeira, no fim de um passeio de três amigos, o Diogo, o Pedro e o Gonçalo, que, juntamente com Rui Franco, lançaram o repto”, para que se tornasse numa iniciativa a repetir e integrada na secção de motores do Grupo Cultural e Desportivo de São Martinho da Cortiça. Referimo-nos ao Passeio de Motorizadas e Carros Antigos, que decorreu domingo nesta freguesia do concelho de Arganil e que contou com cerca de 200 participantes, entre os quais condutores de 105 motorizadas e 29 carros. Em declarações ao RCA, Filipe Gouveia que foi convidado posteriormente para pertencer á equipa organizadora do evento, revelou que desde o ano passado que, “colocámos o pessoal a reparar as viaturas que já não andavam há anos”, regozijando-se porque “este ano, já foram arranjar também as motorizadas que eram dos avós e dos tios e que estavam arrumadas nos palheiros e nas arrecadações” para puderem participar. O também contabilista mostrou-se igualmente satisfeito pelo facto de terem participado neste passeio, diferentes gerações, “desde os 16 até aos 80 anos”. “É sempre um dia de convívio muito bem passado”, assegurou, vaticinando que haja uma terceira edição, em 2019.Revelando que “70 por cento dos participantes levam motorizadas e 30 por cento carros antigos”, Filipe Gouveia deu a conhecer que as pessoas que se inscrevem “maioritariamente são de fora da freguesia”, pelo que a organização aproveita para “mostrar o que há de bom em São Martinho da Cortiça”. “Este ano, as nossas paisagens estão um pouco mais negras mas ainda há beleza para mostrar”, assegurou, explicando que apesar de o percurso delineado para esta segunda edição ter sido diferente do do ano transacto, os participantes passaram novamente pela freguesia. “No ano passado, andámos na parte Sul, este ano, mais na parte Centro”, sublinhou, acrescentando que, a meio do percurso, houve dois reforços alimentares, oportunidade para dar a conhecer “a gastronomia regional”. Percorridos os 60 quilómetros do passeio, o evento terminou com a realização de um almoço no Pavilhão Gimnodesportivo de São Martinho da Cortiça, que contou com a entrega de prémios ao maior grupo participante, neste caso, o Grupo Motard Rebenta a Bolha (Pombeiro da Beira), ao grupo mais distante, o S.C. Travancinha (Seia), bem como ao carro e à motorizada mais antiga, respectivamente um Ford Taunus de 1956 e uma Sachs Aprilia de 1962. Os prémios entregues são “sempre originais”, sublinhou o elemento da secção de motores do Grupo Cultural e Desportivo de São Martinho da Cortiça, dando a conhecer que foram entregues peças de artesanato “criadas e feitas por nós”. “O ano passado destacámos também o condutor mais velho e o condutor mais novo”, acrescentou ainda Filipe Gouveia, informando que “este ano, decidimos não o fazer porque é complicado fazer a triagem”.