Observatório Espacial de Pampilhosa da Serra tem novo telescópio

Download PDF

O Observatório Espacial de Pampilhosa da Serra, localizado na aldeia de Porto da Balsa, recebeu um novo telescópio que estará ao serviço do Ministério da Defesa Nacional, para monitorizar satélites geoestacionários. 💫 Segundo Domingos Barbosa, investigador da Instituto de Telecomunicações de Aveiro, isto significa que o observatório possui agora uma “capacidade única em Portugal para rastrear e detetar satélites assim como para monitorizar os detritos espaciais que podem provocar danos nesses satélites”. 💫 Apenas as autoridades designadas pelo Ministério da Defesa Nacional, o Instituto de Telecomunicações e as instituições protocoladas podem operar este novo aparelho. Domingos Barbosa, salientou que, neste momento, esta é uma “estação radioastronómica de referência em Portugal”. 💫 Para além da vertente de investigação, estas caraterísticas fazem com que este seja igualmente um espaço com forte propensão para o astroturísmo. De acordo com Domingos Barbosa, está a ser realizado um trabalho de fundo, em colaboração com a Câmara Municipal, “para haver um regime de visitas e para poderem visitar os equipamentos” e, inclusivamente, alguns turistas “poderem trazer os seus próprios equipamentos” operando-os de uma forma lúdica. 💫 O investigador frisou ainda que estão a decorrer outro tipo de “ações concertadas com as autoridades do turismo”, nomeadamente ao nível do projeto Dark Sky Aldeias do Xisto, “que vai ter o seu epicentro na Pampilhosa da Serra”. “Esperamos que isto sirva para trazer mais pessoas para cá, também iremos ter o chamado turismo científico, com cientistas e investigadores que irão regularmente utilizar estas infraestruturas”, concluiu Domingos Barbosa. 💫 O observatório espacial de Pampilhosa da Serra é uma estrutura que serve as ciências espaciais e a industria aeroespacial europeia. Para além do novo telescópio, o local já contava com dois radiotelescópios. Um deles está atualmente a receber a instalação de um radar espacial, sendo que o outro é utilizado para ações formativas no âmbito da astrofísica, astronomia e ciências espaciais.