Município de Penacova quer Ribeira de Arcos no Programa de Transformação da Paisagem

Download PDF

Humberto Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Penacova, anunciou que o Município submeteu à Direção Geral do Território, no âmbito do Programa de Transformação da Paisagem, a proposta de criação da Área de Gestão Integrada da Paisagem (AIGP) da Ribeira de Arcos. A criação de Áreas de Gestão Integrada visam a promoção da gestão e exploração comum dos espaços agroflorestais em zonas de minifúndio e de elevado risco de incêndio, microterritórios que possuem uma escala considerada adequada para uma gestão florestal ativa, racional e resiliente, com um modelo de gestão orientado para as comunidades locais, que visa o estabelecimento de parcerias ativas com produtores e proprietários locais. Neste contexto, o Serviço Municipal de Proteção Civil de Penacova, em parceria com o Gabinete Técnico Florestal da autarquia, desenvolveu a proposta de criação da AIGP da Ribeira de Arcos, uma proposta estruturada e sustentável ambiental e financeiramente, que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento integrado, a partir do reordenamento da paisagem, refere o Presidente da autarquia. O mesmo salienta que as intervenções a realizar nos 219,2 hectares de área terão como objetivos a realização do cadastro da propriedade rústica e a mobilização dos seus proprietários, bem como caraterizar a paisagem, desenvolver um plano de operações que a permita reconverter, valorizar e revitalizar, assim como apoiar os proprietários a implementar as medidas preconizadas neste Programa e a valorizar os ecossistemas produzidos nas suas áreas. Humberto Oliveira reforça que a prioridade na criação desta proposta foi colocada no envolvimento de todos os atores que intervêm no território, nomeadamente, as comunidades locais e as instituições direcionadas para a investigação e o ensino. “Estamos certos que a transformação da paisagem contribuirá decisivamente para a redução dos fatores de perigo de incêndio e para o aumento da resiliência ambiental, reforçando a capacidade dos ecossistemas em superar eventuais danos, mas estamos igualmente cientes que a diversidade da AIGP da Ribeira de Arcos e a tipologia de intervenções que pretendemos implementar, contribuirão também decisivamente para a revitalização económica deste território, nomeadamente através da valorização da paisagem, que se refletirá em primeira instância no Percurso Pedestre PR4 Ribeira de Arcos e no fomento de atividades que promovam o turismo de experiências e vivências. ”À margem deste anúncio, Humberto Oliveira, esclarece que a AIGP do Vale do Alva, anteriormente submetida pela autarquia de Penacova, se encontra em fase final de aprovação, estando no entanto pendente de uma declaração da CAULE – Associação Florestal da Beira Serra, entidade gestora da Zona de Intervenção Florestal (ZIF) Mondalva, em como não se opõe a que a AIGP do Vale do Alva se sobreponha a uma parcela da referida ZIF.