Município de Arganil adere ao programa “Desafio Gulbenkian – Diz não á Diabetes”

Download PDF

O município de Arganil é um dos 64 municípios que nesta fase inicial aderiu ao programa “Desafio Gulbenkian – Diz não á Diabetes”, num total de 160 municípios aderentes. Resultado de uma parceria entre a Fundação Calouste Gulbenkian e a Câmara Municipal de Arganil, através de um protocolo estabelecido com a Associação Nacional de Municípios, o referido programa irá ser colocado no terreno através de vários parceiros, nomeadamente, o Centro de Saúde de Arganil, farmácias do concelho e a Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal. Apresentado ontem, no salão nobre dos Paços do Município, pela vereadora Paula Dinis, este programa reputado de “inovador e prioritário na prevenção da diabetes”, apresenta como objectivo principal, “monitorizar e controlar a diabetes tipo 2, através da sua prevenção, envolvendo toda a comunidade em várias actividades”, como por exemplo um rastreio da diabetes e comunicações alusivas às temáticas de diabetes, saúde e actividade física, a decorrer dia 14 de Novembro, Dia Mundial da Diabetes, no auditório da Biblioteca Municipal Miguel Torga a partir das 20h30. Entretanto para o dia 19 de Novembro está agendada uma “caminhada da Diabetes”, num percurso de cerca de 5,5 kms e que terá como itinerário Arganil – Paços do Concelho/ Nogueira/Arganil – Sub – Paço, como forma de “chamar a atenção para a prática da actividade física na prevenção da diabetes” e entre os dias 8 e 19 de Novembro haverá uma “sensibilização para a adesão e registo da comunidade no Portal da Saúde, sendo distribuído um folheto informativo onde estejam descritos os procedimentos a implementar”. A nível nacional os objectivos deste programa passam essencialmente e de acordo com a também farmacêutica por, “evitar que 50000 indivíduos desenvolvam diabetes, num prazo de cinco anos” e “identificar 50000 indivíduos durante os próximos cinco anos, que desconheçam ter a doença e inclui-los no Serviço Nacional de Saúde”, enquanto que em Arganil este estudo pretende identificar cerca de 560 indivíduos, em risco de virem a desenvolver a doença, com idades compreendidas ente os 20 e os 79 anos. Por fim, este programa segundo Paula Dinis, comporta também algumas “aplicações práticas”, como “identificar indivíduos, que possam vir a desenvolver a doença, “ reduzir a prevalência da diabetes tipo 2”, “reduzir a morbilidade e mortalidade por diabetes”, “gerir de forma integrada a diabetes” e “melhorar o acesso da pessoa com pré-diabetes aos cuidados de saúde”. Se estiver interessado em “aprofundar conhecimentos sobre esta temática” poderá consultar o website www.naoadiabetes.pt ou o portal do município. Na apresentação, em que também intervieram a médica Armandina Moutinho, em representação do Centro de Saúde de Arganil e Maria José Carriça, em representação da Associação Nacional das Farmácias Portuguesas, Paula Dinis recordou ainda que de acordo com o Relatório Anual do Observatório Nacional da Diabetes de 2013, esta doença “é considerada a pandemia do século XXI, com previsões de puder atingir, nos próximos 30 anos, mais de 20% da nossa população”, sendo por isso, “um problema de saúde pública, com grande impacto ao nível dos recursos de saúde”.DSC_0422