Marilú homenageada nos 40 anos do Grupo Folclórico da Região de Arganil

Download PDF

marilu-e-o-seu-marido-abel-fernandesNo ano em que assinala os 40 anos da sua primeira actuação, o Grupo Folclórico da Região de Arganil, não poderia esquecer a sua fundadora. Assim sendo, aquela colectividade, irá prestar uma homenagem póstuma, a Maria de Lurdes Mendes Ventura, no jantar comemorativo da efeméride agendado para o dia 21 de Outubro. O anúncio foi feito na última Assembleia Geral do Grupo Folclórico, onde a fundadora, conhecida no seio do Rancho e pelos Arganilenses, como Marilú, foi recordada por muitos dos seus componentes. “Foi uma dama do folclore”, começou por sublinhar Graça Moniz, aludindo á fundadora, falecida em 2003 com 76 anos de idade, adiantando que para o referido repasto serão convidados “todos aqueles que passaram por este Grupo e todos os amigos que se quiserem associar a este momento”, sendo animado pelo Grupo Folclórico de Seramena  (Sobral de Monte Agraço). “Apesar das dificuldades que se têm feito sentir”, prosseguiu a presidente de direcção do grupo, “particularmente no que se refere em trazer jovens para o seu seio, porque não querem vestir um traje, nem por isso o grupo deixou de crescer e de se tornar uma reconhecida referência no folclore nacional”. “Somos um Grupo que representa uma época, a cultura da Beira Serra”, declarou com visível orgulho a dirigente. “Era assim que a Marilú queria e é assim que queremos continuar, levando longe e honrando o seu nome, o nome de Arganil, não só um pouco por todo o país, mas também no estrangeiro nas várias internacionalizações que enriquecem e fazem parte da sua história”, afirmou a docente aposentada. A dirigente, reputou ainda a referida homenagem de “vital importância”, uma vez que, sustentou, “40 anos depois o Grupo continua a enaltecer o trabalho que a Marilú cá deixou” vaticinando que “sejam 40 anos de festa, nos sintamos de alma aberta e de coração cheio para iniciar outros 40”. Refira-se que a fundadora do grupo também já havia sido homenageada anteriormente, por proposta da Junta de Freguesia de Arganil e aprovada pela autarquia, que atribuíram o seu nome a uma das ruas da vila, situada no Bairro do Sobreiral, e pelos “Irmãos” da Misericórdia de Arganil, que colocaram na Mata a sua imagem numa pedra em xisto, atribuindo o seu nome a um retiro na Mata, no espaço dos poetas.