José Serra continua a liderar a Misericórdia de Góis

Download PDF

jose-serraJosé Serra foi reeleito por unanimidade provedor da Santa Casa da Misericórdia de Góis, preparando-se assim para assumir o seu terceiro mandato que terminará em 2020.Lurdes Castanheira, presidente da Câmara Municipal de Góis, mantém-se como presidente da Assembleia Geral e Maria Emília Vidal é a presidente do Conselho Fiscal. Eleitos com 30 votos, os novos órgãos sociais para o triénio 2017/2020, integravam a única lista que se apresentou a sufrágio. Em declarações ao RCA o provedor adiantou que neste mandato pretende essencialmente “responsabilizar-se pelo normal funcionamento de todas as respostas sociais em acordos de cooperação com o Centro Distrital de Segurança Social de Coimbra”, prevendo já este ano “diligenciar, no sentido de aumentar o número de utentes incluídos no acordo de cooperação, em pelo menos mais cinco utentes”, no que respeita ao Lar de Idosos em Vila Nova do Ceira. A Santa Casa da Misericórdia de Góis, que tem como actividade principal o apoio à infância, juventude e terceira idade, prestando serviços nas freguesias de Góis, Vila Nova do Ceira e na União de Freguesias de Cadafaz e Colmeal, pretende ainda “manter o fornecimento de refeições e assegurar o transporte escolar das crianças que frequentam o ensino pré-escolar e o 1º ciclo de Vila Nova do Ceira”. Entretanto alem de actividades que pretende dinamizar com o intuito de proporcionar “mais e melhor qualidade de vida” aos seus utentes, pretende “continuar a encetar esforços com vista à emissão da licença de funcionamento do Centro de Reabilitação e Bem-Estar Dr. José Cabeças, junto da Administração Regional de Saúde do Centro”, bem como “assegurar o funcionamento da estrutura, em particular para os utentes, colaboradores, elementos dos órgãos sociais e população em geral, através da manutenção da fisioterapeuta”. De acordo com o dirigente pretende-se também, já no decorrer deste ano, “conservar as instalações do centro de dia da Cabreira, através da manutenção dos acordos de cooperação já existentes, e pugnar pelo seu alargamento”, bem como, “manter em funcionamento o Centro de Venda de Produtos Endógenos e adquirir uma nova viatura”.