FILVAR assinalou aniversário e contou com a entrada de três novos executantes

Download PDF

A comemoração do 115.º aniversário da Filarmónica Varzeense, (Filvar) em Vila Nova do Ceira, concelho de Góis, teve como ponto alto, no sábado, a entrada de três novos executantes, que já participaram no concerto comemorativo da efeméride. Do programa constou ainda a celebração de uma missa, seguida de procissão, no domingo de manhã, e uma romagem ao cemitério para homenagear os músicos, directores e amigos já falecidos. Durante a tarde e após o almoço, houve também animação musical, a cargo do Grupo de Concertinas “Sons e Suadelas”, de Arganil. Segundo João Bruno Martins, este ano, houve inovações ao nível do programa, já que o concerto comemorativo, que teve lugar no Adro da Igreja de Vila Nova do Ceira, passou de domingo à tarde para sábado à noite, tendo contado com a presença, alem da Banda anfitriã, da Banda Sociedade Filarmónica União Artística Piedense (Cova da Piedade) que também fez questão de estar presente no almoço de domingo, onde compareceram cerca de 250 pessoas. Recordando que esta Filarmónica foi fundada a 5 de Abril de 1902, mas que esteve inactiva de 1932 a 1968, o presidente da direcção da Filarmónica revelou que “no próximo ano, faz 50 anos do seu ressurgimento” e “temos três elementos que vão fazer também 50 anos que estão na filarmónica”. Ainda assim, ressalvou, “somos uma banda muito jovem”, dando a conhecer que integram a Banda músicos com idades compreendidas entre os 12 e os 80 anos de idade. Contando ainda que é habitual comemorar o aniversário da fundação da Filarmónica Varzeense “no fim de Julho ou início de Agosto”, João Martins esclareceu que “este ano, como não quisemos interferir com outras festas nas redondezas, decidimos fazer o aniversário um pouco mais cedo”. Filvar foto quatro