Filarmónica de Coja apresenta 1º CD este ano

Download PDF

Foto CojaA Associação Filarmónica Progresso Pátria Nova de Coja vai apresentar este ano, ainda em data a definir, o seu 1º CD, constituído por 13 temas. Com o lugar para o lançamento já praticamente definido, a Praça em Coja, de acordo com o maestro da Banda é provável que ocorra em final de Maio, inicio de Junho. Regozijando-se por mais uma etapa alcançada, Daniel Gonçalves, revelou que “queríamos fazê-lo de forma a que fique vincado o actual momento que é bastante bom, em que estamos com força ao nível do número de executantes mas também ao nível da formação musical de muitos deles”. Assegurando desde logo que será um disco “com qualidade”, o dirigente adiantou que o CD terá “uma particularidade que não terão outros”, uma vez que, secundou, “há quatro temas completamente inéditos, que foram escritos para a filarmónica”, dos quais é exemplo a “Homenagem a Luís Nunes”, antigo director da Associação, já falecido. “Isto espelha um bocadinho a alma do que é este trabalho em que se tenta dar voz musical à herança, sem esquecer os nossos”, afirmou o director artístico da Banda, considerando que estes inéditos “dão-nos algum alento porque é um trabalho que acaba por ser único”. Fazendo votos para que este lançamento seja “um evento aberto a um maior número possível de pessoas”, Daniel Gonçalves anunciou que, depois de uma primeira apresentação em Coja, “estamos a pensar levá-lo, durante o ano, a outros locais”. Na ocasião, “vamos tentar interagir com as pessoas”, frisou, revelando ainda que “vamos ter a projecção de imagens e áudios e a filarmónica interpretará alguns temas”. “O que queremos é que as pessoas venham até nós”, reforçou, considerando que a apresentação deste CD “vai ser um momento muito importante ao nível da valorização pessoal para o grupo de trabalho”, sendo “um trabalho que marca, independentemente de quem o gravou”, até porque, sustentou, “está ali representada toda a comunidade que passou por aquela banda, executantes, maestros e direcções, ao longo de 148 anos”.