Comissão de Melhoramentos Recreativa e Educativa de Fórnea comemorou 63.º aniversário

Download PDF

20770404_10207736409646559_1916994193361919795_nInserido na festa anual da aldeia, a Comissão de Melhoramentos Recreativa e Educativa de Fórnea, promoveu um almoço para assinalar o seu 63.º aniversário. O repasto, que decorreu na sede da colectividade, juntou associados, residentes e pessoas oriundas desta aldeia situada a cerca de 14 kms do Piódão, que todos os anos por esta altura fazem questão de regressar á terra que os viu nascer, participando não só neste almoço como também na festa em honra do Senhor da Saúde, da Nossa Senhora da Conceição e Santo António. Assim sendo, começou por confessar Elisabete Adrião, “é com imenso prazer que vejo esta casa cheia em dia de festa, com associados e amigos, autarcas e representantes de associações, no intuito de celebrar mais um ano de história”. Para a presidente da Comissão de Melhoramentos Recreativa e Educativa de Fórnea o completar 63 anos de história, é sinónimo de “reflexão e de recordar todos aqueles que criaram e mantiveram esta associação”, como tal, lembrou, “foi precisamente a 15 de Agosto de 1954 que homens, chefes de família, se reuniram com o objectivo único de enfrentarem os problemas desta aldeia, em conjunto, e nesse sentido decidiram criar esta casa”. Com efeito, sublinhou, “é visível o esforço conjunto que foi feito com o apoio das autarquias e Associação de Compartes e, as obras de melhoramentos vão surgindo, sempre com o propósito de proporcionarem comodidade e bem-estar a todos os que cá vivem e a quem cá passa alguns dias por ano”. A dirigente apontou ainda alguns exemplos de “obras de beneficiação importantes” como a energia eléctrica, serviço dos correios, construção da escola primária, acesso rodoviário e alcatroamento, construção da piscina fluvial com o apoio da autarquia e Junta de Freguesia, recuperação do moinho ou a aquisição e ampliação da Casa Peneda do Relógio. Ainda assim, ressalvou, “é obvio que estas obras ainda estão longe de terminar”, adiantando que “temos o sonho de construir um campo de futebol, que até agora não foi possível por vários constrangimentos, mas havemos de conseguir”. A regionalista afirmou ainda que “há associações que têm um papel muito importante aqui no meio rural, não apenas nestes momentos de convívio, apesar de também serem importantes, mas para preservar memórias”, agradecendo a todos que “têm trilhado este caminho comigo nos bons e maus momentos” e garantindo que “o fazemos com humildade, daqueles que têm consciência de que nada se constrói sozinhos”. “É um orgulho ser dirigente desta casa, e hei-de continuar a sê-lo por muito tempo”, declarou, acrescentando ainda que, “não trabalho sozinha, por isso estamos todos de Parabéns”.