CLDS 3G Arganil + Inclusiva promove sessão sobre turismo

Download PDF

Gonçalo Gomes, responsável pelo Núcleo de Apoio aos Empresários, Empreendedorismo e Investimento Turístico do Turismo Centro de Portugal e Arménio Coelho, representante das Aldeias Históricas de Portugal, foram os dois oradores, da sessão promovida pelo CLDS 3G Arganil + Inclusiva, subordinada ao tema “Turismo – Como crescer de forma sustentada e criativa”. O evento, organizado em parceria com o município de Arganil, teve lugar no auditório da Biblioteca Municipal Miguel Torga e contou com diversas entidades do sector. Gonçalo Gomes abordou o tema “Licenciamentos e Registos no Sector do Turismo”, enquanto Arménio Coelho falou sobre o “Turismo: Como crescer de forma sustentada e criativa”. Explicando que “estas sessões pretendem sobretudo ser uma forma de estarmos uns com os outros e, de alguma forma, conhecermos melhor os projectos que estão a ser desenvolvidos”, Elisabete Oliveira, coordenadora do CLDS 3G Arganil + Inclusiva deu as boas vindas a todos os presentes, adiantando que o que se pretende, é “aproveitar o know-how de quem aceita o desafio de estar connosco para tirarmos algumas dúvidas e perceber o que é que podemos desenvolver, quer no nosso projecto, quer em conjunto, para podermos ter melhores resultados”. Na sessão de abertura interveio ainda Luís Paulo Costa que, destacando o “papel dinamizador” do CLDS, regozijou-se com o tema abordado, sustentando que estas sessões são uma oportunidade para “podermos partilhar aquilo que, por um lado, é a vossa experiência prática no terreno e no que tem a ver com o trabalho de rede, no caso das Aldeias Históricas, e numa rede muito mais alargada, no caso do Turismo Centro de Portugal”. Sublinhando que outro dos objectivos é “podermos também provocar alguma dinâmica, iniciativa, naquilo que são os nossos empreendedores na área do turismo”, o presidente da Câmara Municipal de Arganil frisou que “só temos todos a ganhar com estas iniciativas”. Coube em seguida a Gonçalo Gomes abordar a sua temática, começando por recordar que o Turismo Centro de Portugal é responsável por fazer a promoção turística de 100 concelhos do país, dando a conhecer aos empresários e empreendedores presentes de que forma esta entidade pode ser “útil”, e apoiar a implementação dos seus projectos. Revelando que “temos a promoção interna e externa” e “damos apoio ao investimento turístico”, o representante do Turismo Centro de Portugal sublinhou que “o que fazemos é ajudar na legislação e a divulgação da informação útil para os nossos investidores”. Afirmando que o que esta entidade pretende é “recolher dados para poder ajudar a fazer projectos de investimento turístico”, aquele responsável alegou que é necessário haver um “turismo criativo”, congratulando-se porque “os números continuam a dizer que o turismo, na região centro, está a subir”. Gonçalo Gomes apresentou ainda a legislação turística aplicada aos empreendimentos turísticos, alojamento local, animação turística, agências de viagem e turismo, rent-a-car e restauração. Já Arménio Coelho deu a conhecer alguns dos projectos que estão a ser desenvolvidos nas aldeias históricas de Portugal, começando por sublinhar que, inicialmente “houve a preocupação de fazer um investimento material” nestas aldeias, sendo agora necessário “trazer pessoas para estes territórios”. Revelando que foram criadas diversas rotas e percursos, o representante das Aldeias Históricas de Portugal destacou a Grande Rota das Aldeias Históricas de Portugal, com uma extensão de 600 quilómetros, que faz a ligação entre as 12 aldeias históricas, e que “está em processo de certificação internacional”. “O objectivo é também tornar estas aldeias históricas acessíveis a toda a gente”, confessou Arménio Coelho anunciando que “já está em curso esta candidatura e vão ser feitos caminhos turísticos acessíveis para todos”. A sessão de encerramento ficou a cargo de Joana Travessas, em representação da Casa das Palmeiras, como exemplo de um investimento de “boas práticas”, no sector do turismo.