Cerdeira Convida reuniu cerca de 20 expositores e animou a Cerdeira no fim-de-semana

Download PDF

Perto de duas dezenas de expositores participaram este fim-de-semana na 9.ª edição do Cerdeira Convida, certame organizado pela União de Freguesias de Cerdeira e Moura da Serra, com o apoio da Câmara Municipal de Arganil. Queijo, mel, enchidos, bucho e muitos outros produtos endógenos, mas também muito artesanato e animação, a cargo de grupos locais e regionais, foi o que este evento teve á disposição dos Cerdeirenses e visitantes, no salão da Casa do Povo da Cerdeira e Moura da Serra, local onde habitualmente decorre. Aquando da inauguração do certame, que contou com as presenças de diversas entidades, nomeadamente, Ricardo Pereira Alves, presidente da Assembleia Municipal de Arganil, Paula Dinis vice-presidente da Câmara Municipal de Arganil, Érica Castanheira, vereadora na autarquia, entre outras, Adelino Almeida começou por confessar que “depois da catástrofe que nos atingiu no passado dia 15 de outubro, discutimos se valeria a pena continuar com a realização da 9.ª edição do Cerdeira Convida”, uma vez que “perderam-se colmeias, alguns animais dos quais se extraía o leite para fazer o queijo, plantas de que se extraíam os produtos endógenos, pessoas, habitações e bens”. Ainda assim, acrescentou, “chegámos à conclusão que valia a pena continuarmos com esta iniciativa, pois estes produtores e artesãos que perderam quase tudo deviam ser ajudados para que pudessem repor a sua actividade e voltarem aquilo que era a sua vida normal”, frisando que este evento permite também “ajudar as colectividades a mostrarem a sua actividade” e “dar visibilidade à nossa freguesia”.“A Cerdeira, apesar de tudo, está viva, vai continuar viva e vamos todos dar cada vez mais as mãos para que consigamos ultrapassar todas estas situações menos boas que nos têm assolado”, afirmou o presidente da União de Freguesias de Cerdeira e Moura da Serra, fazendo votos para que “venham ao concelho de Arganil e à Cerdeira”.Paula Dinis, Adelino Almeida e um produtorJá em declarações ao RCA fez notar que, apesar da destruição causada pelos incêndios, “ainda tivemos mais expositores este ano”, dando a conhecer que “havia outros que queriam vir mas o espaço é limitado”, pelo que, reconheceu, “tentámos fazer uma diversificação de produtos para não haver muita repetição e não prejudicasse o negócio daqueles que estão”. Frisando que este evento “é uma forma de apoiar as pessoas que ficaram sem os seus bens e que tiveram prejuízos com os incêndios”, o autarca local deu a conhecer que os produtores de mel “foram afectados em 80 por cento da sua produção e é difícil as pessoas verem que a perspectiva não é muito grande de haver uma vegetação que possa alimentar as abelhas a curto prazo”. “Este evento é uma montra destes produtores, artesãos e colectividades”, afirmou, sublinhando que, neste fim-de-semana, “há muita gente de outros concelhos que visitam a Cerdeira e há pessoas da Cerdeira que marcam na sua agenda este fim-de-semana para estarem presentes”. Adelino Almeida aproveitou ainda para anunciar que já está agendado outro evento para o dia 7 de Julho em Moura da Serra, o 1.º Encontro das Comissões de Melhoramentos da União de Freguesias, com tasquinhas, actividade cultural durante a tarde, com tunas, ranchos e filarmónicas e um baile à noite, com a banda “Ponto e Vírgula”.