Casa do Povo de Coja inaugurou anfiteatro

Download PDF

A Casa do Povo de Coja inaugurou ontem  o novo anfiteatro. Tratou-se de um investimento na ordem dos 70 mil euros, tendo a Câmara Municipal de Arganil contribuído com 40 mil euros. O novo equipamento é constituído por uma bancada que comporta 160 lugaresanfiteatroanfiteatro-dois e pelo palco que, já existindo, foi remodelado ao nível da caixilharia, portas, pavimento, canalizações e pinturas, tendo sido ainda tapadas fissuras e infiltrações de águas. Aquela infra-estrutura que serve de sede às colectividades de Coja, nomeadamente à Associação Filarmónica Progresso Pátria Nova, à Tuna, ao Rancho Folclórico As Rosas e à Liga Regional Cojense, virá assim proporcionar-lhes “outro tipo de realizações, outro tipo de ambiente, outra comodidade e outra grandeza”. As obras foram benzidas pelo pároco da freguesia, Rodolfo Leite, tendo contado com a actuação das colectividades atrás mencionadas e com um porto de honra no final. “A Casa do Povo apresenta, assim, a partir deste momento, melhores condições para captar a realização de actos culturais e sociais de maior envergadura”, afirmou António Cardoso, sublinhando que este pode ser um “argumento que pode deslocar para Coja outro tipo de espectáculos e de eventos que poderão trazer mais-valias ao nível da economia local”. Porém, “para que isso aconteça, é necessário sermos empreendedores, activos e criativos”, alertou, defendendo que “agora há que trabalhar numa agenda cultural, social e recreativa”. Anunciando que a nova responsável cultural do espaço será Sandra Santos, o presidente da direcção da Casa do Povo de Coja, solicitou o apoio de todos, enfatizando que “a Casa do Povo, com o equipamento que agora possui, pode dar um grande contributo para que, de forma concertada, se pratique o diálogo e haja mais acção, tanto ao nível social como cultural”. “Esta Casa é de todos e para todos”, assegurou, dando ainda a conhecer que foi instalado no anfiteatro ar condicionado para que, “haja outro conforto e outra disponibilidade das pessoas para virem aos eventos”.