Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Coja comemorou 55 anos e homenageou bombeiros

Download PDF

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Coja, celebrou DSC_0642DSC_0659o 55.º aniversário, aproveitando a oportunidade para homenagear os seus bombeiros e proceder á bênção de duas viaturas. Nesse âmbito, foram entregues medalhas de assiduidade aos elementos do corpo activo que já se encontram nesta corporação, á cinco, dez, quinze, vinte, vinte e cinco e trinta anos, bem como um crachá de ouro a Victor Reis, um dos bombeiros mais antigos desta instituição. A entrega desta insígnia, trazida pelo representante da Liga dos Bombeiros Portugueses, José Requeijo, foi efectuada pelo secretário de Estado da Protecção Civil, José Artur Tavares Neves. O Governante, depois de também já ter colocado a medalha de assiduidade de trinta anos, ao segundo comandante, Pedro Joaquim, presidiu á sessão solene comemorativa da efeméride, frisando a necessidade de “termos uma cultura de segurança e de prevenção para o risco”. José Neves, alertou ainda para a obrigatoriedade de “limpar as faixas de gestão de combustível”, tarefa que terá que ser feita até ao dia 15 de Março, uma vez que, sublinhou, “a partir desse dia, as forças segurança aplicarão as contra ordenações a quem não cumprir”. O secretário de Estado, recordou ainda que o Governo, “pretende que até 2020 todos os concelhos do país tenham pelo menos uma Equipa de Intervenção Permanente Profissional para puder responder de imediato, a alguma emergência, para as corporações não estarem dependentes da sirene para chamar os seus bombeiros”. Confessando que “é para mim um enorme orgulho comandar os melhores bombeiros de Portugal”, Paulo Tavares, recordou a “tragédia” que ocorreu no dia 15 de Outubro. “Um dia que seguramente não vamos esquecer”, sublinhou, assegurando que, “fizemos tudo o que estava ao nosso alcance fazer, praticamente e apenas com o recurso do nosso corpo de bombeiros”. “Enfrentámos o inferno, não conseguimos salvar tudo mas estamos de consciência tranquila, pois fizemos o que era humanamente possível fazer”, declarou o comandante, recordando ainda o fatídico dia 15 de Setembro de 2012, em que também num incêndio, a corporação perdeu dois dos seus bombeiros, “a Patrícia e o Pedro, que enquanto for comandante e bombeiro, nunca esquecerei”, garantiu. Já o presidente da direcção desta corporação de bombeiros, Jorge Matos Silva, aproveitou a oportunidade para “prestar uma merecida homenagem ao corpo de bombeiros desta associação, com especial relevância ao seu comando, pelo denodo ao avaliarem, preverem, precaverem e proverem a sua actuação, no sentido de defenderem as terras da nossa área de actuação, com especial relevância para as jóias da nossa região, o Piódão, e a Mata da Margaraça”. Luís Paulo Costa, por seu turno, afirmou que a Câmara Municipal de Arganil “reconhece o trabalho, a dedicação e a entrega, bem como a abnegação de todos aqueles que ao longo destes 55 anos, deram o seu melhor enquanto bombeiros, muitas vezes arriscando a própria vida em prol da defesa de pessoas e bens”. Por isso, prosseguiu, “enquanto presidente da autarquia só posso agradecer-vos por tudo o que têm feito”, deixando ainda o seu agradecimento, “a todos os que deram o seu melhor na defesa do património das nossas gentes e particularmente arriscando a sua própria vida na defesa da vida dos nossos concidadãos”.