Associação Educativa e Recreativa de Góis homenageou a título póstumo Armando Gualter ao comemorar 85 anos da sua Filarmónica

Download PDF

A Associação Educativa e Recreativa de Góis celebrou sábado 85 anos do ressurgimento da sua Filarmónica, com a realização de um vasto programa que teve como ponto alto, uma homenagem póstuma efectuada a Armando Gualter, na sede desta colectividade. Com efeito, foi descerrada uma fotografia numa das salas da Casa da Cultura de Góis, sede da AERG, deste antigo dirigente da Filarmónica, recentemente falecido. “Foi uma pessoa que marcou muito esta casa”, assegurou Rui Sampaio, confessando não ser “muito a favor de homenagens póstumas”, todavia, explicou, “não foi possivel homenageá-lo em vida, portanto tinhamos que o fazer agora”. O presidente da direcção da AERG e da Filarmónica Goiense, recordou ainda que foi o sucessor de Armando Gualter, na presidência da colectividade, garantindo que, “tentei seguir a sua obra e manter o mesmo espirito que existia na altura”. Relativamente á fotografia descerrada, o dirigente, afirmou que “mostra exactamente como era o Sr. Gualter, retrata-o mesmo bem”. Felicitando a direcção da AERG “por se ter lembrado de fazer esta homenagem”, Lurdes Castanheira, partilhou que, “tive o prazer de o conhecer á quase trinta anos” e muito embora confesse que “é dificil falar dele”, a presidente do municipio de Góis, sublinhou que Armando Gualter, “foi, é e será uma referência para todos nós, não só enquanto presidente da AERG, mas também ao presidir a Casa do Concelho de Góis, deixando-nos aqui, um testemunho”. Frisando que, “temos a obrigação de manter viva a sua presença”, a autarca deixou ainda uma palavra aos familiares do homenageado, considerando que “são uns sortudos por terem tido Armando Gualter na vossa familia”. “Afável, simpático, tolerante, amigo, respeitador, leal aos seus principios e a tudo o que defendeu e para nós estará sempre presente”, acrescentou ainda a edil relativamente ao homenageado, confessando sentir-se “muito orgulhosa pelo património cultural que é a Filarmónica de Góis”. Em representação da familia do homenageado interveio José Luis Nogueira, seu sobrinho, começando por frisar o seu “gosto pela vida, a grandeza de espírito, a constante boa disposição e o bom humor, mas também,  a sua “resiliência e acutilância, que foram sempre a sua imagem de marca e apanágio de uma vida, que este retrato espelha de forma tão feliz”. “Atitude e exemplo que vai perdurar na nossa memória e que acreditamos inspirará as gerações vindouras”, aventou o engenheiro.DSC05202 (1)DSC05236DSC05204 (1) DSC05207 (1)Também as sobrinhas netas do homenageado, Matilde e Mariana deixaram umas palavras ao tio, confessando que, “o tio foi um exemplo para Góis.Nós nunca o vamos esquecer. Por isso vamos mostrar a todos os nossos amigos como Góis é uma vila tão bonita”. A comemoração destes 85 anos terminaram com a realização de um concerto no auditório da Casa da Cultura de Góis, pela banda aniversariante e pela Filarmónica União Taveirense.