Associação de Juventude de Góis e município promovem rede de voluntariado

Download PDF

A Associação de Juventude de Góis pretende implementar uma rede de voluntariado social, projecto designado por “Ugus – Um Gesto, Um Sorriso”, tendo promovido nesse âmbito um seminário subordinado ao tema, “A importância do voluntariado”. A iniciativa, teve lugar na Biblioteca António Francisco Barata, em Góis e teve por principal objectivo “fomentar o debate e encontrar soluções para que as instituições do concelho de Góis possam ser cada vez mais apoiadas, através de acções de voluntariado”.

A referida rede, com intervenção no concelho de Góis, estará disponível online, através de uma plataforma, que “funcionará como um instrumento de planeamento de actuação, de forma organizada e centrada em acções muito especificas”, uma vez que, nessa mesma plataforma, “constarão as varias entidades aderentes á rede de voluntariado e a missão que cada uma delas terá, como acção interventiva para que exista uma opção por parte do voluntário, consoante o seu desejo individual”. Esta iniciativa, integrada no âmbito da licenciatura em animação socioeducativa do técnico do município de Góis, Miguel Mourão, pretendeu de acordo com o próprio “discutir a importância do voluntariado na sociedade actual, no seio das instituições e também na nossa vida”, assim como, “para dar a conhecer as dificuldades com que as instituições se deparam no dia-a-dia e debate-las”. Satisfeito pela elevada adesão ao seminário, o coordenador do projecto “Ugus- Um Gesto, Um Sorriso”, vaticina que com a realização do referido seminário “se possam despertar consciências e apelar para que as pessoas integrem este movimento”, sublinhando a “importância dos oradores”, que no seu entender, “vão fazer o sucesso desta jornada de trabalho”, nomeadamente, Paulo Gil Martins, Sónia Fernandes, Marcelino de Sousa Lopes, Sofia Teles, Jorge Alves, Ricardo Pocinho, entre muitos outros. Felicitando o técnico pela iniciativa, Lurdes Castanheira, declarou desde logo que na sua óptica, “Góis é um bom exemplo de voluntariado”, sublinhando que, “não fazemos nenhum esforço para hoje afirmar aqui, aquela que é a nossa convicção”. Segundo a presidente do município de Góis, “ser voluntario firma-se no apoio, na demanda da respeitabilidade e no benefício de alguém, que tem necessidades”, considerando que “no cenário desta acção não pode haver apenas a presença de uma boa vontade, é imprescindível saber amparar, com idoneidade e uma postura ajustada”. Assim, sublinha a edil, “o propósito de ajudar o alguém consagra-se no centralizar de um ganho verdadeiro nele, e não na demanda, para si próprio, de carinho, reputação, ou qualquer outra contrapartida”. Lurdes Castanheira, reputou o seminário e o projecto Ugus, como “uma acção essencial” promovida pela Associação de Juventude de Góis, que “o município não podia deixar de apoiar” uma vez que se trata “ de um pautar de uma rede de ligação para todos para a essência do bem-estar da população”.