Assembleia Municipal de Arganil aprova por unanimidade moção referente á EN 342

Download PDF

DSC_7875A Assembleia Municipal de Arganil aprovou por unanimidade a moção “EN 342: Por uma requalificação urgente”, reivindicando dessa forma ao Governo e Infraestruturas de Portugal, “com a máxima urgência, a decisão de abertura do concurso público para a realização da empreitada de requalificação da EN 342”. Considerando que a EN 342 “é um eixo estruturante para a promoção, desenvolvimento e coesão territorial do concelho”, “o acentuado estado de degradação em que a via se encontra, no troço Arganil – Coja- Vila Cova de Alva – Avô – EN 2302” e considerando ainda “que a requalificação da EN 342 Arganil (Km 92,530) e entroncamento com IC6, (EN 230, Km 177, 582), integra o “Plano de Proximidade 2015-2019” da Infraestruturas de Portugal com uma dotação de 7,5 milhões de euros” e que o projecto de execução mandado executar pela IP se encontra concluído, a Assembleia Municipal de Arganil aprovou por unanimidade uma moção apresentada pelo próprio presidente da Assembleia, Avelino Pedroso, referente a esta via. Intitulada “EN342: Por uma requalificação urgente!”, a moção recorda trata-se de “uma via fundamental para a mobilidade de toda a região, assumindo particular relevância no concelho de Arganil, promovendo a ligação entre os seus dois principais centros urbanos: Arganil e Coja”. Nesse sentido e “reforçando todas as diligências já desenvolvidas pela Câmara Municipal e pelos partidos políticos”, pretende-se dessa forma “exortar o Governo e a Infraestruturas de Portugal para que tome, com a máxima urgência, a decisão de abertura do concurso publico para a realização da empreitada de requalificação da EN342, no troço Arganil – Coja – Vila Cova de Alva – Avô – EN 230”. Obra que de acordo com o documento “os Arganilenses há muito anseiam e cujo estado da via não permite esperar mais”. Pese embora todos os deputados municipais terem subscrito a referida moção, a mesma ainda causou celeuma entre socialistas e sociais-democratas com Arménia Coimbra, líder da bancada socialista a ameaçar “abandonar” a sala, e a sugerir que os seus colegas de bancada também o fizessem. Eugénio Frois começou por confessar estar de acordo “com a urgência desta requalificação”, porém sublinhou que a moção, já que inclui Avô, “faria todo o sentido envolver também o município de Oliveira do Hospital”. Dessa forma, sustentou o socialista, “daria mais força e amplitude a algo que é tão urgente para a Beira Serra”. Por seu turno, Fernando Valle, fez questão de efectuar uma “resenha histórica” da EN 342 e dos anúncios feitos anteriormente relativamente á sua requalificação, relembrando que o primeiro foi em Dezembro de 2014. Além de que, frisou o deputado socialista, “sendo o PS Governo chamámos cá os deputados da Assembleia da República, que vieram ao concelho e constataram o mau estado da via, questionando o Governo, sobre qual seria a previsão das obras inscritas no Plano de Proximidade”. “O governo tem noventa dias para se pronunciar e estamos a aguardar uma resposta”, sublinhou Fernando Valle, frisando que “não vi uma preocupação assim, quando o PSD estava no governo”. Tendo em conta que enquanto o deputado socialista intervinha, o presidente da Câmara Municipal de Arganil também o tentou fazer em simultâneo, o presidente da Assembleia Municipal teve que “repor a ordem” na sala. Por seu lado e julgando que “a chamada de atenção” tinha sido somente direccionada para Fernando Valle e não para Ricardo Alves, Arménia Coimbra insurgiu-se, chegando mesmo a levantar-se para sair, o que todavia acabou por não se concretizar.